sábado, 27 de agosto de 2016

Dia do Catequista

 Caríssima irmã, caríssimo irmão catequista.
 Os caminhos da igreja no Brasil assinalam o mês de agosto com uma nobre particularidade.
 A temática vocacional recebe forte acentuação: dia dos pais, dia do padre, dia do religioso,
dia do catequista. Este previsto para o dia 28/08.
 Em nome da CNBB quero servir-me da data para uma palavra permeada de sincero afeto
e imensa gratidão.Embora não seja possível ser suficientemente grato a tanta dedicação, com
muita simplicidade ,apresento-me para uma reflexão agradecida.
 Começo chamando-lhe a recordação uma sua experiência pessoal muito singular: Lembra quando
alguém lhe dirigiu o convite a tornar-se Catequista? Certamente está  presente em sua memória a
pessoa, as frases e o contexto.Lembra também de sua própria reação? Talvez inquietação,ou duvidas,
ou temor por não se sentir apta(o). É até possível que lhe tenha aflorado a preocupação pela falta de
tempo...
 Mesmo assim,embora com tantas objeções, Você aceitou. Estou certo que  ainda estão bem presentes
os motivos que moveram a aceitar... e o Espírito Santo estava lá: movia, suscitava,inquietava.  E eis
que desde sua liberdade e desde sua capacidade de amar houve um momento de uma afeição amorosa
pelo Senhor, pela comunidade, pelos "seus" catequizando.
 Hoje, tendo ja passado um bom tempo, talvez anos, cabem duas perguntas bastantes simples: mais
ofereceu ou recebeu? mais aprendeu ou mais ensinou? É verdade que os desanimo por vezes se
apresentaram; também sinais de cruz se pronunciaram. Mas quanto crescimento! Quantos sinais da
proximidade de Deus ! Quantas experiências de fé! É... Catequese é um caminho. um discipulado,
um perdura e atravessa anos. Mas o Senhor nunca se deixa vencer em generosidade. Quantas
Graças!!!
 Seu sim ajudou a  igreja a ser evangelizadora; a ser mais igreja. Sua dedicação de catequista a (o)
faz lembrar-se  de que o  Senhor Jesus quer ser conhecido mais por seu amor do que por doutrinas.
Por isso mesmo o episcopado brasileiro lhe agradece, caríssima (o)Catequista.E neste dia louva o
Senhor por seu ministério. Que Deus lhe multiplique em bênçãos a bênção que é Você para nossa
igreja.

Dom José Antonio Peruzzo
Arcebispo de Curitiba- PR
Presidente da comissão Episcopal Pastoral para a Animação Biblico-Catequetica

( fonte blog catequese na net.)

sábado, 13 de agosto de 2016

Sre Pai

Ser Pai
Ser pai é ser companheiro,
construindo no ninho familiar a grandeza dos filhos,
para alicerçar valores que edificam a sociedade.
Ser pai é ser jardineiro,
plantando raízes de virtudes com mãos delicadas,
para que o lar seja sementeira de luz e de verdade.

Ser pai é ser herói,
protegendo o espaço sagrado de seu templo-família,
cultivando no coração dos filhos o germe da harmonia.

Ser pai é ser fonte de vida,
inaugurando nossa história com gestos de amor,
renovando perenemente a herança da criação.

Ser pai é ser poeta,
declamando com carinho os versos de sua vivência,
para cultivar e enobrecer os projetos de nossa existência.

(fonte Portal da familia)

sábado, 6 de agosto de 2016

Agosto, mes dedicado as vocações

  Neste mês a Igreja celebra as vocações: Sacerdotal,
diaconal,  religiosa, familiar e leiga.É um mês voltado
pela reflexão e oração pelas vocações e os ministérios,
de forma a pedir a Deus sacerdotes que sejam verdadeiros
pastores e sinais de comunhão e unidade no ceio da Igreja.

  Durante o mês cada domingo é reservado para a reflexão
e celebração de uma determinada vocação.

  Primeiro domingo, Vocações Sacerdotais- Dia do Padre.
 O Sacerdote age em nome de Cristo e é seu representante
dentro da comunidade. Ao Padre compete ser pastor e pai
espiritual para todos sob sua responsabilidade.

Segundo domingo. Vocação Familiar -Dia dos Pais.
 Neste domingo celebramos a vocação da família na pessoa do pai.
A família é  chamada por Deus a ser testemunha do amor e da fraternidade,
colaboradora da obra da Criação.
 O pai é representante legítimo de Deus perante os filhos e é sua missão
conduzi-los nos caminhos de Cristo, da verdade, da justiça e da paz.
Cabe aos pais que o amor, compaixão e harmonia reinem no lar.

Terceiro domingo, Vocação Religiosa- dia da Vida Religiosa.
 No terceiro domingo do mês vocacional, a Igreja lembra os
Religiosos.Homens e mulheres que consagraram suas vidas a
Deus e ao próximo. Desta vocação brota carismas e atuações
que enriquecem nossas comunidades com pessoas que buscam
viver verdadeiramente seus votos de castidade, obediência e pobreza.
São testemunhos vivos do Evangelho.

Quarto domingo, Vocação leiga- dia dos ministérios leigos.
Neste dia celebramos todos os leigos que, entre família e afazeres
dedicam-se aos trabalhos pastorais e também missionários.
Ser leigo atuante é ter consciência do chamado de Deus a participar
ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a caminhada  e o
crescimento das comunidades rumo a Pátria Celeste.

Dia do catequista.
 Nos anos em que o mês de agosto possui cinco domingos, a Igreja
celebra neste dia o ministério do Catequista.Os Catequistas são por
vocação e missão, os grandes promovedores da fé na comunidade
Cristã preparando crianças, jovens e adultos não só para os sacramentos,
mas também para darem testemunho de Cristo e do Evangelho no mundo.

( fonte : Net ) 

domingo, 31 de julho de 2016

   A palavra de Deus deste domingo vem nos
mostrar a vida humana imersa nas realidades
temporais. O livro do Eclesiastes questiona a    
correria diária em prol do acúmulo que sempre
fica para o herdeiro que nada esforçou-se por
tais bens adquiridos com tanto suor. Qual o
sentido do trabalho de sol a sol, a ponto de
levar as preocupações do trabalho para o leito
e não conseguir repousar? Ao olhar esse texto,
parece-nos que foi escrito para nós, que vivemos
no século XXI imersos nas mesmas questões.
   Jesus, ao ter interpelado por alguém da multidão
preocupado com questões de herança, respode
com firmeza, alertando para o perigo que a ganancia
pode trazer àqueles que pensam que é no acumulo de
bens que consiste a vida de uma pessoa.
   A parábula com a qual Jesus finaliza essa exortação
não que ir contra o trabalho e a reserva necessária
para a subsistência. Mas o enfoque está na ganancia
de ter sempre mais e não partilhar do fruto do trabalho.
Jesus chama o homem da parábula de louco, pois não se
preocupa  com a dimensão espiritual da vida que o levaria
a partilhar e a pôr a segurança em Deus, e não nos bens.

Vivemos numa sociedade capitalista. Quem tem poder
aquisitivo, sempre busca acumular mais. Para aqueles
que vivem a margem do sistema, resta a luta incansavel
e estressante para ter o mínimo necessário para a subsistência.
Em ambos os casos a vida perde o verdadeiro sentido. Os que
tem não partilham; os que não tem gastam suas vidas tentando
se sustentar no trabalho de sol a sol, sem ter o que deixar para
os seus descendentes.
   Paulo nos convoca a ver a realidade a partir de Cristo, o Novo
Homem que venceu a exploração para implantar o reino de Deus
que promove a justiça. deixar o homem velho para reverti-se do
homem novo significa mudar radicalmente o modo de relacionar-se
na Comunidade, sem descriminação e apego aos caprichos que
trazemos no coração.  
   Revistamo-nos do Homem Novo, Jesus de Nazaré! Ele nos ensina
a nos colocarmos nas mãos do Pai para vivermos essa vida na partilha
e na união, sem se deixar levar pela ganancia que nos cega, impedindo-
nos de conviver como irmãos.

(Pe. Anísio Tavares)       

sábado, 16 de julho de 2016

Nossa Senhora do Carmo

 
  Nossa Senhora do Carmo, que deixastes o Santo Escapulário
como sinal do vosso amor e proteção.
  Sois  reconhecida como assistência na vida e consoladora amável         
na hora da morte,eu, vosso filho e devoto, pronto a Vós servir, disposto
a Vos amar, me apresento a Vós e faço o meu pedido:

  Nossa Senhora do Carmo, nunca se ouviu dizer que alguém necessitado,
tendo recorrido a vós, tenha ficado desamparado.
  Com confiança Mãe do Escapulário, intercedei junto ao Vosso Filho
Jesus Cristo,por mim, por aqueles a quem devo rezar sempre e por aqueles
a quem se confiam as minhas orações.
  Mãe Amável, sede nos propicia e rogai por nós a Deus, para que sejamos
dignos das promessas de Cristo.
Nossa Senhora do Carmo, Rogai por nós.
 Mãe do Escapulário, Rogai por nós.

domingo, 3 de julho de 2016

São Pedro e São Paulo


  A celebração da Festa de São Pedro e São Paulo
nos remete aos primórdios da vida cristã.
 Pedro conviveu com Jesus, do qual recebeu a
missão sublime de ser a rocha firme do edificio
da fé cristã. Paulo foi o missionário ardoroso e destemido,
que rompeu barreiras culturais e religiosas para levar
o cristianismo ao mundo pagão.
  A fé em Jesus e a comunhão marcaram a vida desses
dois homens. Conversaram entre si, discutiram pontos
importantes da fé e, juntos, são considerados as colunas
mestras de nossa Igreja.
  Celebramos hoje o dia do Papa. Na fidelidade a Cristo
e na doação incansável pela Igreja, ele nos condus na caminhada
de fé  como sucessor de Pedro.
  Ainda hoje, Cristo nos questiona sobre quem ele é para cada um
de nós. Unidos na fé com o Papa, também nós queremos estar
em comunhão com o Pai do céu e ser fiel à nossa resposta a Jesus.
 A exemplo de Paulo, derrubemos as barreiras, vençamos os
obstáculos e esforcemo-nos para ligar todas as pessoas à
riqueza do Evangelho.
Que o Senhor nos liberte das prisões do comodismo e da indiferença,
e nos envie como discípulos ardorosos da Boa Nova do Evangelho
 a todos os povos. Não tenhamos medo. O Senhor continua cami
nhando conosco e nos dando a sua força.

(Pe. Anísio Tavares)





domingo, 12 de junho de 2016

Querido Santo Antônio! Abençoai e protegei a nossa família. Conservai-a sempre unida no amor. Assisti-a nas necessidades temporais e afastai dela todo mal. Abençoai-nos. Fazei que nunca nos falte trabalho como também todas as coisas necessárias para podermos viver honestamente e educar bem os filhos.Amém.

domingo, 5 de junho de 2016

Oração da manhã

  Senhor meu Deus, mais um dia está começando.
  Agradeço a vida que se renova para mim, os trabalhos
que me esperam, as alegrias e também os pequenos               
dissabores que nunca faltam.
 Que tudo quanto viverei hoje sirva para me aproximar
de Vós e dos que estão ao meu redor.
 Creio em Vós, Senhor. Eu vos amo e tudo espero de
vossa bondade. Fazei de mim uma bênção para todos que
eu encontrar. Amém.

( Revista de Aparecida)